Jogo previsível de ambas as equipas com o Porto a montar um esquema para vencer o jogo e não para procurar o empate.
O Benfica tirou o 1-0 da cartola com um bom remate, mas esse golo foi contra a corrente de um jogo aborrecido e com poucas oportunidades.
A seguir? O costume… chutões, não conseguir sair a jogar, oportunidades umas atrás das outras para o rival e tentativas de sair apenas com lançamentos longos. Não fazemos 3 passes seguidos sem um chutão.
De seguida, já na 2ª parte, e com o Porto a fazer o triplo dos remates do Benfica, lá sofremos o mais que esperado golo num lance que contado ninguém acreditaria.
Ao fim de 45 jogos, o Benfica continua sem saber montar uma defesa e sem saber o que fazer em lances como aquele… Havia 5 jogadores do Porto prontos para finalizar sem QUALQUER oposição. Calhou ao Uribe. Incrível o que o covid faz.
Quando tudo parecia morto lá entrou o cavalo de corrida Darwin que ainda deu muito trabalho a uma defesa cansada do Porto e graças a ele (e aos chutões para ele correr), ainda acreditámos ser possível ganhar o jogo. A bola até entrou, mas o lance já não contava.
Nota final para uma arbitragem que é reflexo do que tem sido o Futebol e a política em portugal: total impunidade no erro (seja ou não propositado).
– Artur Soares Dias decide marcar uma falta CLARÍSSIMA para amarelo (era o 2º para o Pepe) e não só não dá o amarelo, como impede a marcação rápida do livre que não podia impedir naquele caso.
– Ou seja, não deu o lance perigoso e potencial golo do Everton e também não deu a expulsão do Pepe.
Que vai acontecer? Nada claro…
Mas o certo é que não merecemos nem por sombras ganhar o jogo, foi mais um clássico com pouca qualidade e a dar cada vez mais saudades dos duelos antigos com plantéis de Luxo e jogos de qualidade.
Época desastrosa e que, agarrada a um all-in da Direção, merecia meter nas mãos dos sócios a decisão de seguir ou não com o projeto. Mas hey… quando o Presidente nem à tribuna vai e está mais preocupado com a desculpa para não aparecer na Audiência Parlamentar, que fazer?
Continuar a falar da obra feita, das pedras da calçada e siga… O Benfica que se foda.
Até logo.