Jogo em tudo parecido com o do Rio Ave.
45 minutos desperdiçados (sendo que com o Rio Ave podíamos estar a levar 2 ou 3 ao intervalo) e depois uma 2ª parte forte com muitas oportunidades para engordar o resultado.
Tendo em conta que o Covid foi por água abaixo com clubes a ter os mesmos casos que nós sem tanta mossa, fica difícil entender que em Março, a 2 meses do final da época, ainda tenhamos este nível de rendimento pop-up e um Treinador que diz coisas como “A equipa está a crescer”… ora… nesta altura até podia estar a “quebrar ou desgastada, mas a crescer se calhar é um bocado tarde.
O resultado foi justo e é manter o ritmo da 2ª parte. A jogar assim (tal como no mesmo período com o Rio Ave), acabamos com alguma dignidade uma época catastrófica.
Jesus não consegue simplesmente ser cinzento, ou é preto ou é branco… ou chora culpas alheias de maus resultados e uma época vergonhosa, ou ganha um jogo e puxa galões durante todas as conferências de imprensa como se fosse um feito marcante na história do Clube.
Não há ali meio termo nunca…
A urgência de viver o Benfica não se sente, a tensão constante durante os dias de jogo também não, estamos amorfos e só à espera de percalços alheios para ganharmos algum ânimo.
Isso e mantermos o nível apresentado nas 2ªs partes dos jogos referidos, porque poderá ajudar alguma coisa.