Presidente,

 

Nota prévia:

Não sou dos que o condena à partida por ter sido amigo do Pinto da Costa, as amizades não podem nunca definir quem quer que seja, porque o “diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és” é uma utopia onde ninguém pode atirar a 1ª pedra.

Não sou dos que o condena à partida por ter sido ou não sócio deste ou daquele rival. Não adoro a ideia, penso que nenhum adepto do Benfica o devia fazer, são anos a mais de vida para haver 1001 justificações para tal.

Não sou dos que o condena à partida, ponto.

 

Nem tudo é mau:

Quando chegou ao Benfica este clube estava em fase de recuperação. O Presidente Manuel Vilarinho (com a sua ajuda sim) tinha já endireitado esta paixão de milhões e parecíamos seguir o caminho certo. Pouco depois foi altura da saída de Manuel Vilarinho com a entrada em força do BES e o Presidente foi então o seu sucessor natural e a escolha da entidade financiadora.

 

Manteve a luta pela recuperação do clube, ajudou na construção do novo estádio e do centro de estágio do Seixal (que foi fechado o acordo com a autarquia ainda no tempo do Vale e Azevedo). Isto tudo foi muito importante para o clube e para a sua renovação.

 

Renovou as Casas do Benfica de Norte a Sul e inaugurou pessoalmente grande parte delas. Algo que mantém a mística espalhada fora de Lisboa e claro, lhe dá um número de votos considerável na altura das eleições.

 

Construiu o fantástico Museu Cosme Damião que era essencial porque somos dos clubes com maior história e sucesso do mundo, nada como expô-la e condecorá-la desta forma.

 

Voltámos a vencer títulos nacionais e a dada altura tivemos a maior parte deles face aos nosso rivais.

 

No entanto, também temos o copo meio vazio:

A CREDIBILIDADE:

– prometeu sermos maiores que o Real Madrid e que se demitia se não chegássemos aos 300.000 sócios,

– tem por esclarecer o seu número de sócio (e, automaticamente, o tempo de sócio) por não aparecer nalgumas tabelas antigas de associados,

– levou a votos em assembleia os estatutos menos democráticos da história de um Clube que lutou contra o regime e que teve sempre como bandeira essa mesma democracia,

– trouxe para si quase todo e qualquer potencial candidato a troco de dinheiro, mesmo que não partilhasse das ideias do mesmo mostrando apenas alguma fragilidade ou receio de ser confrontado no seu lugar de Presidente,

– tem demasiados casos sinistros de gestão de mercado que ainda hoje estão por esclarecer quando por exemplo disse à CMVM que vendeu o Roberto e depois afinal não foi bem assim, não pode de todo ficar calado sem comentar a situação, está a integridade do meu Clube em causa e não posso admitir que ninguém se sinta acima dela (se me alongar no tema das transferências duvidosas, fico aqui até às eleições),

– Jorge Mendes, Capital XXI, todo o famoso carrossel que começa a deixar vítimas pelo caminho (o caso do Valência) e do qual já não temos independência para sair,

– o caso gritante da OPA que NENHUM dos seus administradores sabia sequer da ideia pitoresca. Mesmo assim avançou e felizmente que a CMVM tem algo a dizer sobre este tipo de movimento no mercado,

– aprova o voto eletrónico que não é devidamente auditado e, questionados sobre o tema, mentiram dizendo que é aprovado pela CNE (vieram desmentir o mesmo). Desafio-o desde já a colocar voto em papel nas próximas eleições para recontagem caso alguma das candidaturas o peça,

– Paulo Gonçalves foi incontornável no Boavistão e no FCPorto do Apito Dourado, qual a ideia de o contratar para a estrutura do Benfica? Como é que chegamos ao ponto em que isto faz sentido e que, depois de acusado de corrupção, fazemos negócios que não dos deram qualquer proveito desportivo nem económico, com ele a intermediário?

– César Boaventura, é este tipo de perfil que quer para o Clube que dirige? É esta a cara que queremos colocar no mapa benfiquista? Um homem que acha ter 50 votos quando devia ter 20, um homem com ligações sinistras em diversos negócios, um homem que até tira fotografias do google para fingir que vai andar de avião privado?

– Pedro Guerra, é este perfil que querem colocar a defender o Benfica? É um homem que se desdiz a cada mês sempre num formato de propaganda que nem a Coreia do Norte se lembraria?

– BTV, desde quando faz sentido ser a televisão da Presidência e não do Clube? Qual a lógica de não dar visibilidade a campanhas nestas eleições? Qual a lógica de não cobrir as eleições para dar resposta ao interesse dos adeptos e sócios do Benfica? Qual a lógica de não promover debates entre os candidatos de forma esclarecer as dúvidas dos sócios?

– Agrediu um sócio em plena Assembleia Geral sem se retratar, em um pedido de desculpas ou nota sobre o assunto. Mais um sinal de que se sente acima do Clube que representa.

– A indefinição e falta de transparência sobre as claques e todos esses grupos dos quais podemos beneficiar ainda mais caso seja tido em conta de forma estruturada e regrada.

 

A GESTÃO DESPORTIVA:

– iniciou com uma gestão de contratar jogadores feitos e se possível a rivais, conseguiu finalmente um craque (Simão) que lhe trouxe um título junto da Velha Raposa. Foram muitos anos sem qualidade, muitos anos sem qualquer rumo, apenas talento e experiência nos trouxeram um título e não uma estratégia,

– Depois só voltámos às vitórias 5 anos depois em novo investimento razoável. Nesse período com Jorge Jesus o mercado era preenchido com muitas contratações, bastantes de qualidade e outros que nunca chegaram a jogar no Benfica. Foram tantos os jogadores que mesmo as famosas vendas milionárias, no final, deixaram o saldo de compras e vendas no neutro,

– com a saída do Jorge Jesus a estratégia mudou radicalmente. A aposta principal foi no Seixal e os acertos no plantel começaram a deixar de ser feitos. De ano para ano, mesmo com algum investimento em certos períodos, a qualidade do plantel foi decrescendo a olhos vistos enquanto ganhávamos. Quando deixámos de ganhar ficou tudo em carne viva e a terrível estratégia foi novamente posta de lado,

– o Penta que era visto como um objetivo prioritário foi completamente posto de parte com o menor investimento DE SEMPRE desta Direcção. Ou seja, quando podíamos conquistar o ambicionado Penta, batemos recorde negativo de investimento. Como pretende que se aceite a ideia de que o queria tanto como nós?

– volta Jorge Jesus, esse que foi posto em tribunal por traição e roubo ao Benfica e com ele muda novamente a estratégica. Voltamos ao investimento forte no plantel, voltamos a contratar jogadores feitos e voltamos a ver no Seixal um mero aperitivo gourmet caso seja necessário. Não que a estratégia seja errada, o tempo o dirá, mas justa para quem serviu o clube anteriormente e coerente não é de certeza,

– já emprestou mais de 160 jogadores e a % de compras de jogadores que nunca chegaram sequer a vestir a camisola do Benfica é tremenda, estes camiões sucessivos de contratações com lacunas óbvias ano após ano não fazem sentido e a dependência de agentes e dos seus jogadores não protege em nada os interesses do Clube,

– tem o pior recorde negativo na Europa e a pior série de resultados na história do Clube,

 

Os Benfiquistas precisam de perceber que o Presidente está categoricamente a querer defender o Clube e não apenas os seus interesses pessoais sejam eles económicos ou legais.

O Benfica precisa de transparência e de clareza em todas as ações que toma.

 

Quero que tenha uma coisa em mente:

– O Benfica não é seu e é por isso que tem a obrigação de nos esclarecer e de deixar tudo o que se passa no nosso Benfica bem claro.

 

Não sei se é adepto deste grande Clube, sinceramente não é relevante para o caso, o que peço é algo que nunca fez: Respeite o Benfica e todos os seus sócios e adeptos.

Aguardo que aceite debates nesta campanha e que perceba que a democracia do Clube foi uma conquista desde a sua fundação. 

 

Cumprimentos e viva o Benfica.